A partir do momento que você desenvolver o hábito de poupar, poderá começar a planejar seu investimento financeiro. Porém, como não existem investimentos que combinem ausências de risco, com liquidez e alta rentabilidade, você precisa desenvolver sua inteligência financeira e ser disciplinado para obter o retorno que espera.

As opções do mercado são inúmeras: ações, os inúmeros fundos — de renda fixa, de direito creditório, de previdência (PGBL e VGBL), imobiliário, multimercado —, a tradicional caderneta de poupança, os pouco conhecidos títulos do Tesouro Direto, os CDBs. Existem diversas alternativas. E, evidentemente, esses produtos não são adequados a todos os investidores. Cada um atende a um público específico. Antes de você fazer seu investimento financeiro, é preciso ter tudo isso isso em mente.

O que fazer antes de fazer seu investimento financeiro

Como já comentamos, antes de investir é preciso poupar. Cabe aqui ressaltar que existe uma diferença sutil entre poupar e investir. Poupar significa acumular recursos, economizar. Logo após, você precisa saber por quanto tempo esse recurso pode ficar aplicado, e para que será utilizado. Por isso, o investidor precisa prever como se comportarão suas receitas e despesas para ter noção de quando precisará dispor dos recursos. Portanto, ter um orçamento é muito importante. Estamos aí falando de planejamento, outra etapa fundamental. Fazer as coisas de improviso acaba levando a erros e investimentos financeiros não apropriados. A partir do momento que tiver estas informações, a escolha do investimento financeiro será bem mais fácil.

Existe um investimento financeiro que renda muito e não tenha risco?

A resposta é não, claro. Não dá para se obter uma rentabilidade extraordinária sobre uma mera sobra de caixa que será investimento financeiroutilizada nos próximos 30 dias ou mesmo nos próximos seis meses. Aqui começa uma das principais confusões do investidor. O cenário econômico atual brasileiro não dá muitas opções para recursos que serão usados em um horizonte curto de tempo. Tenha em mente o objetivo de manter o poder de compra e aplicar em algo que ao menos reponha a inflação do período. E isso tudo com atenção redobrada. Até investimentos antes considerados mais conservadores têm apresentado variação negativa, como alguns fundos de renda fixa e multimercado. Portanto, para a parcela que será utilizada logo ou para a reserva emergencial — aquela para caso de perda de emprego ou problemas de saúde — pense em um investimento financeiro com liquidez e baixa volatilidade.  Quais as opções neste caso? Tesouro Direto Selic ou os fundos DI (atenção para a taxa de administração que pode corroer todo o ganho).

Aplicações a médio e longo prazo

Para contrabalançar a baixa rentabilidade das aplicações a curto prazo, é vital hoje em dia pensar em aplicações a médio e longo prazo para se obter uma rentabilidade adicional. Nosso país enquadrou-se no mercado internacional, ou seja: quanto maior o prazo, maior a rentabilidade. Um exemplo de aplicação como essa são os títulos públicos. Alguns desses títulos garantem a inflação medida pelo IPCA mais os juros pactuados no momento da compra. Evidentemente, o papel pode oscilar, apresentando variação negativa em determinados períodos. Em casos como esse, se o investidor o vender, terá de lidar com o prejuízo. Mas caso o mantenha até o vencimento, o investidor terá seu título garantido pelo governo federal rendendo inflação mais juros reais.  Da mesma forma, os CDBs dos bancos também obedecem a essa lógica. Tenha sempre em mente que sacrificar a liquidez diária e aceitar um prazo maior, acarretará uma rentabilidade maior.

Outro fator além do prazo do investimento financeiro, é o nível de risco que poderá assumir para obter rentabilidade extra. Para investidores que pretendem ganhos maiores, as ações passam a ser uma boa opção.

Conheça nossa calculadora de juros compostos

Dá pra perceber que o mercado oferece vários tipos de investimento. A partir do momento que você conhecer o seu perfil, poderá escolher o investimento financeiro mais adequado às suas necessidades. Para auxiliar suas escolhas, o Hospital das Finanças desenvolveu uma Calculadora de juros compostos, que te ajuda a simular diferentes rentabilidades para os seus investimentos.

Acesse agora mesmo nossa calculadora de juros compostos clicando aqui.

Share This
×