Você percebe que todo final do mês é um tremendo sufoco. Sobram dias no calendário e seu salário já acabou. Como saber que chegou a hora de fazer algumas mudanças urgentes em sua vida? Elaboramos esta lista com o objetivo de te ajudar a prevenir os riscos de ficar endividado. Lembre-se: o primeiro passo para sair do problema é conseguir enxergá-lo, para daí sim bolar uma estratégia. Admitir um problema é o primeiro passo para resolvê-lo.

5 Sinais que vai ficar seriamente endividado

1 – Taxa de comprometimento de renda maior que 80%

Esta taxa mede a capacidade de pagar suas dívidas de acordo com o que recebe. Para calcular basta dividir o total de todas as suas prestações mensais pelo seu salário mensal.

Exemplo:
Salário: R$ 2.500,00
Despesas Fixas: R$ 2.200,00
Taxa de esforço = 2.200 / 2.500 = 0,88, ou seja 88%

Neste exemplo, há uma necessidade de repensar seus custos mensais ou aumentar seus rendimentos. Agora, isso pode piorar. Caso a porcentagem da taxa seja de 100% ou mais (ou seja, deve mais do que pode pagar todos os meses), terá de arranjar um plano de reestruturação da sua dívida URGENTE.

2. Pedidos de empréstimo negados

Você passou numa loja e encontrou aquela TV perfeita para sua sala. Olhou o preço, viu as parcelas e foi comprar, no carnê. Ao tentar o pagamento, foi recusado. Por que isso ocorre? Porque bancos e instituições de crédito já fizeram (antes de você) a dita análise da taxa de esforço e calculam que o seu risco de não pagar é alto. Ao mesmo tempo, se pensa em obter um crédito para pagar outro, reanalise a sua situação e estabeleça outra estratégia pois pode criar mais uma bola de neve e tornar-se ai sim um endividado crônico.

3. Só paga o mínimo no cartão, e às vezes nem paga

Se não consegue nem fazer os pagamentos mínimos, com certeza precisará reestruturar a sua dívida. Converse com a instituição e procure as novas modalidades de parcelamento do cartão, com juros menores. Lembre-se: os pagamentos mínimos podem não ser suficientes nem para cobrir os encargos mensais com juros, e muito menos o montante inicial da dívida.

4. Fica escolhendo entre o pagamento das dívidas ou necessidades básicas

Se quando recebe o salário tem que escolher o que paga e o que fica para trás ou optar em deixar de pagar algo para poder comprar alimentos ou os serviços básicos, está na hora de tomar consciência da situação e mudar de comportamento.

5. Ganha relativamente bem, mas deixa parcelas pra trás

Se ganha mais do que a maioria das pessoas, mas, ainda assim, encontra dificuldades em pagar os seus empréstimos, parcelas e dívidas em geral, melhor refletir. Mude o seu comportamento e forma de lidar com o dinheiro e repense seus estilo de vida. Fazer ajustes agora é bem melhor do que ficar super endividado.

Conclusão

Em todas as dicas fica clara a necessidade de uma mudança de comportamento e de hábitos. Em seguida, vale pena a criar uma estratégia para ter controle de sua situação financeira. Quanto mais rápido procurar ajuda, mais rapidamente controlará a sua dívida e, claro, mais depressa a sua vida voltará ao normal.

Efetue um Diagnostico do seu orçamento familiar, estabeleça o que é realmente importante e descarte o superficial. Depois dessa análise estabeleça uma estratégia concreta e em família de combate às dívidas. Se precisar de alguma ajuda neste planejamento, o Hospital das Finanças com certeza poderá te ajudar. Preencha o formulário abaixo, que a ajuda virá de maneira rápida!

Share This