Consultoria financeira pessoal virou uma tendência há um bom tempo. Basta dar uma busca no Google e você verá centenas de empresas ou pessoas físicas oferecendo as melhores formas de aplicar seu dinheiro. Porém existem diversos riscos a serem levados em conta, caso esteja cogitando contratar alguém para cuidar de seu dinheiro.

Afinal, dar a autoridade para um terceiro é um passo sério, já que dificilmente esta pessoa ou empresa assumirá perdas, apesar de com certeza dividir os lucros de investimentos bem-sucedidos. Listamos abaixo 3 razões para pensar duas vezes antes de contratar um consultor financeiro:

1- Dependência de um consultor financeiro

Geralmente contratamos pessoas para fazer coisas que ou não queremos fazer, ou não estamos preparados para fazer. Isto pode até ser recomendável em tarefas simples, como questões domésticas, por exemplo. Mas na falta de alguém para lavar a louça, com certeza você consegue se virar, não é mesmo?
Por outro lado, imagine que para uma escolha financeira você sinta insegurança, fique paralisado e não consiga decidir caso não ligue para seu consultor financeiro. Assim como uma criança que ainda não sabe andar, e depende totalmente de adultos para conseguir se locomover com o mínimo de segurança. Será que vale a pena depender de pessoas desta mesma forma para cuidar de seu dinheiro?
A consultoria financeira pode criar uma dependência que irá prejudicar sua qualidade de vida. Já a educação financeira te ensina a ser independente financeiramente.

2 – Conflitos de interesse

Não é nada raro que consultores recebam comissão pelos produtos que indicam. Imagine o seguinte cenário: você tem ainda algumas dívidas para quitar, mas conseguiu vender um imóvel, sendo que teria algum dinheiro sobrando. O que diriam 3 consultores financeiros diferentes?

  • Consultor “A” – diz que você deve quitar todas as suas dívidas para só então começar a investir;
  • Consultor “B” – diz que vale sim a pena você ter “dívidas saudáveis”, com baixos juros e começar a acumular dinheiro por meio do investimento que ele vai lhe indicar;
  • Consultor “C” – afirma que com aquela quantia que tem em mãos, você ficará milionário caso invista em certas ações escolhidas a dedo por ele.

E aí, quem está certo neste cenário? Todos ou nenhum? Será que cada um dos consultores financeiros leva em conta sua situação e conhece seus hábitos, antes de lhe indicar este ou aquele investimento ou apenas indica para receber alguma comissão?

3 – Custos de um consultor financeiro

Geralmente os custos de consultoria são feitos de 2 formas:

  • Honorários: é um valor acordado pela quantidade de horas que o profissional irá gastar ao analisar e planejar as suas finanças além das horas de consultoria presencial, por e-mail ou telefone.
  • Valor fixo: desta forma, você e a sua consultoria estabelecem os serviços que serão necessários para atender a sua demanda e definem um valor único ou mensal.

Pense bem: vale a pena pagar por serviços que além do risco normal de operações de investimento, podem gerar dependência e ser tendencioso?

Não queremos dizer que a consultoria financeira não tem valor, muito pelo contrário, queremos apenas alertar que é preciso escolher bem. E a educação financeira ajuda muito nesta escolha, visto que sem parâmetros básicos e sem conhecimento você não tem como contrapor o que o consultor te sugere.

Com liberdade de ação, e com uma visão cristalina das melhores opções no mercado, você terá plena convicção de analisar aonde quer chegar e encontrar as melhores opções de investimento. Você pode até contar com uma boa consultoria financeira, mas precisa, antes de tudo, investir na sua própria educação financeira.

O Hospital das Finanças oferece diversos cursos para desenvolver sua inteligência em finanças e capacitá-lo em um investimento que renderá os melhores dividendos a longo prazo: sua independência financeira. Conheça mais sobre o HF, assim como sua equipe, frequentando uma de suas Palestras Gratuitas, clicando no botão abaixo:

Palestras Gratuitas

Share This
× Converse conosco